Bilderberg Discutiram sobre Guerras e Média Independentes





Bilderberg Discutiram sobre Guerras e Média Independentes 

O encontro deste ano do Grupo Bilderberg na Suiça abordou, segundo fonte interna presente no encontro, temas como as guerras atuais, essenciais para a sobrevivência económica da bancada mundial e da economia dos EUA, mas também se deu especial destaque aos média independentes que estão tendo um papel fundamental para combater os próprios Bilderberg. Sobre a guerra, a CIA está construindo uma base para drones (aviões automáticos não tripulados) no Médio Oriente para fazer guerra à Al-Qaeda no Iémen. O controle da internet livre é também uma das preocupações dos “banksters” bilderberg’s que pretendem manter a sua guerra contra a classe média e por isso afastar notícias reais e preocupantes que circulam em sites de imprensa livres, blogues e televisões online. 

O movimento contra a al-Qaeda no Iêmen e notícias do plano da CIA para intensificar a guerra para a África segue a todo vapor. Há vários dias que a Elite planeja expandir a guerra contra o terror fabricado. No inicio do mes em St. Moritz, na Suíça, uma das fontes internas presentes na reunião Bilderberg revelou que os globalistas estão trabalhando para espalhar a guerra em toda a região do Oriente Médio.

 A elite quer uma "grande guerra sangrenta no Oriente Médio, que vai envolver todos os países, exceto Israel, que está protegido", disse o veterano caçador de Bilderberg, Jim Tucker em comentário feito a Alex Jones esse mes. Uma guerra de grande porte, observou ele, será trabalhada pelo esforço da elite para subir os preços do petróleo e colocar ainda mais pressão econômica sobre uma classe média cada vez menor na América. 


 Num outro desenvolvimento apontando para a guerra expandida, na quinta-feira, o Pentágono mudou seus navios de guerra na costa mediterrânea da Síria.

Os preços do petróleo estão em queda, disse Brent Crude e os preços do petróleo dos EUA caiu vertiginosamente a partir de uma alta de cinco semanas na quarta-feira, mas estão projetados para subir significativamente no longo prazo. A instabilidade no Oriente Médio, finalmente levará os preços a ficarem muito mais elevados. O Diretor Financeiro da Petrobrás do Rio de Janeiro, Almir Barbassa, em reflexão as previsões da indústria, disse em março que o conflito na Líbia e da chamada "Primavera árabe" vai empurrar os preços as alturas.

 De acordo com informantes dos Bilderberg, o gás e a escalada dos preços do petróleo acabarão por mover o povo norte-americano em uma posição de apoiar as guerras no Oriente Médio, onde grande parte do petróleo do mundo é produzido.

Informes secretos dos Bilderberg, revelaram na semana passada que a elite mundial está preocupada com a montagem da oposição do Congresso para guerras intermináveis ​​e temem que medidas possam ser tomadas para reverter a ação militar na região. O plano da CIA para expandir a guerra no Iêmen e na Somália, em última análise e África revelam uma tentativa descarada e a tendência crescente contra atos inconstitucionais militar pelo Congresso. A elite está determinada a agir antes de serem prejudicados por legisladores e o povo americano.

Ignorando o coro de montagem de oposição, o Pentágono e o governo Obama estão intensificando a atividade militar contra o Iêmen, baseadando-se na al-Qaeda da Península Arábica ", considerado o terror ameaçador mais imediato para a América", de acordo com a Associated Press . "Há relatos consistentes de conexões entre AQAP no Iêmen e al-Shabab em todo o Golfo de Aden, na Somália.  

 
Além da expansão da guerra contra o terror - e o efeito debilitante que continua a ter sobre os EUA e a economia global - Tucker, revelou semana passada que a elite está preocupada com a Mídia Alternativa e seu impacto crescente na mídia corporativa.

 A elite global perceberam que devem amordaçar a mídia alternativa e forçar o povo norte-americano de volta para o circuito da propaganda das empresas de mídia tradicional, evitando-se assim, a resistência ao seu plano de ganhar a ordem pelo caos  através da guerra e também derrubar a economia, movendo-se para impor um esquema globalista econômico com uma moeda global e de alta tecnologia no Estado policial autoritário.

 A atual obsessão da mídia corporativa com hacking é parte de um esforço de propaganda para convencer os americanos de que a ausencia de regulamentação da internet, sustentando que se não for controladas e supervisionadas pelo governo seria uma ameaça para a civilização moderna. Os grupos sombrios e misteriosos LulzSec e Anonymous estão na vanguarda deste esforço para assustar o povo americano, a maioria dos que não entendem que tal "coletivo hacker" realmente não representam uma séria ameaça às redes corporativas e de governo, pelo menos não aqueles com medidas adequadas de segurança em vigor.
   
A tendência emergente é restringir o acesso à Internet sob a égide da lei de direitos autorais. No mês passado, a nova Estratégia da UE de Propriedade Intelectual e Direitos, endossou uma política de manter ISPs responsável pela pirataria, e assim, forçá-los a punir os usuários sem o envolvimento de um juiz ou júri. Espanha, Irlanda e Reino Unido decidiram recentemente por combater a pirataria com restrições de acesso.

 Nos Estados Unidos, o "Combate à Violação Act on-line e Falsificações" seria capacitar o Departamento de Justiça para desligar ou bloquear o acesso a, websites considerados "dedicado a atividades ilícitas." O DOJ já fez isso várias vezes. No final de maio, o DOJ mudou de cofragem sites que infringiram direitos autorais, pirataria, e para fechar sites de apostas. Esse precedente deixa a porta aberta para o governo  fechar outros sites não associados criminalmente ou que se tenha percebido atividade criminosa.

 Em fevereiro, o governo fechou vários sites de links para material com direitos autorais, estabelecendo assim um precedente perigoso. A empresa, Rojadirecta, apresentou uma queixa na Corte Distrital dos EUA em Nova York, alegando que o governo estava violando a Primeira Emenda, citando uma série de casos anteriores onde o material foi apreendido sem justificação.

PROTECT IP é atualmente destinado a sites estrangeiros, mas a tendência emergente é que acabará por afetar negativamente todas as atividades da internet. 

 Uma série de legislação cibernética estão sendo projetadas para tratar websites ofensivos como empresas terroristas. No final de maio, o Pentágono anunciou que invasões de computador a partir do estrangeiro serão a partir de agora, considerados atos de guerra contra os Estados Unidos e serão respondidos com uma força militar convencional.

 O Pentágono estabeleceu um novo comando no ano passado, liderado pelo general Keith B. Alexander, diretor da NSA, para consolidar a segurança da rede militar e esforços de ataque. Alexander disse ao Washington Post em novembro passado que o novo traje quer margem de manobra para montar o que ele chamou de "espectro total" das operações no ciberespaço.

Lenta mas seguramente, o governo, a mando da elite dirigente que se reuniram recentemente na Suíça, estão apertando o cerco em torno da internet e em breve tornarão o meio insustentável para mídia alternativa.

 No topo da lista está a capacidade de travar uma guerra destrutiva e sem fim lucrativo e ganhar a ordem no caos - atualmente entre os muçulmanos recalcitrantes no Oriente Médio - e ainda a deterioração econômica agora em curso, tudo isso sem a interferência da Mídia alternativa, que acabará por ser caracterizada como terroristas, à semlehança do LulzSec e outros, que passaram para lista do Pentágono, como alvos cada vez maior. Veja os vídeos em ingles e mais informações em InfoWars





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...